terça-feira, 9 de outubro de 2012

Núcleo do Barreiro reúne 5ª Feira nos Penicheiros



O Núcleo do Barreiro do Manifesto em Defesa da Cultura realiza no dia 11 de Outubro de 2012 (5ª Feira), entre as 21h 30 e as 23h 30,  na sala nobre da Sociedade de Instrução e Recreio Barreirense - "Os Penicheiros", na freguesia do Barreiro, uma reunião para discutir e calendarizar acções futuras em defesa da Cultura.

Traz outro amigo também!

Orçamento de Estado para 2013 discutido no Seixal por Dirigentes Associativos

A Confederação Portuguesa de Colectividades de Cultura, Recreio e Desporto (CPCCRD) e a Confederação Portuguesa de Pequenas e Médias Empresas (CPPME) realizam um Encontro/Debate - espaço de análise da situação económica e social do país, no dia 16 de Outubro de 2012 (3ª Feira), entre as 14h 30 e as 18h 00, no Auditório dos Serviços Centrais da Câmara Municipal do Seixal.

Este encontro é dirigido às bases da CPPME, a micro, pequenos e médios empresários e aos dirigentes do movimento associativo. Pretende ser um espaço de análise da situação económica e social do país, do qual resultem propostas de medidas urgentes nas áreas da fiscalidade, do crédito, do investimento produtivo, da justiça e apoio social que possam integrar a agenda política e ser inscritas no Orçamento do Estado para 2013.

Para além das participações dos Presidentes das três instituições organizadoras, Alfredo Monteiro (CMS), Augusto Flor (CPCCRD) e João Pedro Soares (CPPME), a iniciativa contará com a Participação Especial de João Ferreira do Amaral, economista.

A iniciativa é organizada pela Confederação Portuguesa das Micro, Pequenas e Médias Empresas (CPPME), Confederação Portuguesa das Colectividades de Cultura, Recreio e Desporto (CPCCRD) e Câmara Municipal do Seixal.
As inscrições são gratuitas e decorrem até dia 15 de Outubro. Podem ser dirigidas à CPPME através do telefone 212 276 100 ou do e-mail cppme.cppme6@gmail.com ou à CPCCRD através do telefone 218 882 619 ou do e-mail cpccrd@confederacaodascolectividades.com.

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Barreiro já tem Associação de Colectividades do Concelho




No dia 27 de Setembro (5ª Feira), na sala nobre, centenária, da Sociedade de Instrução e Recreio Barreirense – “Os Penicheiros”, realizou-se a cerimonia de tomada de posse dos Órgãos Sociais que vão conduzir os destinos da nova estrutura descentralizada da Confederação Portuguesa de Colectividades de Cultura, Recreio e Desporto (CPCCRD).
A nova Associação de Colectividade do Concelho do Barreiro (ACCB) conta com treze dirigentes associativos voluntários (DAV), na Mesa da Assembleia, no Conselho Fiscal e na Direcção, com diferentes experiências no movimento associativo popular (MAP) local, regional e nacional.

Órgãos Sociais para o triénio 2012-2015:


Mesa da Assembleia

Presidente - Cine Clube do Barreiro - Armando Cunha Santos.
Vice-Presidente - Grupo Desportivo Independente - Eurico Pereira.
Secretário -  Associação Africana – Macário Dias.

Conselho Fiscal

Presidente - Cooperativa Cultural Popular Barreirense  - Nuno Soares.
1.º Secretário - Associação Reformados Pensionistas e Idosos de Santo André -  Bernardo Mendes.
2.º Secretário - Associação de Moradores e Proprietários da Quinta da Areia - José Cabrita.

Direcção

Presidente - Sociedade de Instrução e Recreio Barreirense – “Os Penicheiros” - Daniel Rocha Ventura.
Vice-presidente - Clube Dramático Instrução e Recreio 31 Janeiro – “Os Celtas” - Silvano Lopes.
Secretário - Grupo Desportivo e Cultural Os Casquilhos - Rui Calvete.
Tesoureiro - Grupo Desportivo Cultural Estrela Negra - João Belo.
Vogal - Grupo Desportivo Estrelas Areenses - Gualdino Neves
Vogal - Grupo Recreativo Quinta Da Lomba - Arnaldo Pascoal
Vogal - Grupo Coral “Amigos do Barreiro” - José Caturra

Vamos ao trabalho!

sexta-feira, 8 de junho de 2012

88º Aniversário da Confederação Portuguesa de Colectividades de Cultura, Recreio e Desporto (CPCCRD)

Dr. Augusto Flor - Intervenção final do 88º Aniversário da Confederação Portuguesa 
de Colectividades e Dia Nacional do Associativismo, em Almada

terça-feira, 5 de junho de 2012

Movimento Associativo Popular está de parabéns!

 Mulheres e Jovens Dirigentes debatem futuro das colectividades
A Confederação Portuguesa de Colectividades de Cultura, Recreio e Desporto realizou no passado, dia 3 de Junho de 2012 (Domingo), o encontro nacional intitulado "Mulheres e Jovens Dirigentes debatem o futuro das colectividades" e a Sessão Solene do 88º Aniversário da Confederação Portuguesa das Colectividades, no Fórum Romeu Correia, em Almada.
O encontro nacional intitulado "Mulheres e Jovens Dirigentes debatem o futuro das colectividades" teve quatro painéis: dois de manhã e dois à tarde.
Na parte da manhã, entre as 10h 30 e as 12h 30, no Auditório Lopes Graça, sob o lema "Mulheres e Jovens no Associativismo Cultural e de Recreativo", tivemos Laurinda Figueiras, professora (Viana do Castelo) e Odete Santos, Advogada (Setúbal). Na Sala Pablo Neruda tivemos Carlos Limas e Isabel Cruz, ambos professores e Nuno Delgado, judoca, que nos falaram de "Desporto para todos(as)".
Na parte da tarde, entre as 14h 30 e as 16 h 30, na sala Pablo Neruda, Catalina Pestana, Psicóloga Educacional e Ricardo Sousa, Diretor de Serviços que nos deram a conhecer a perspectiva do "Ser social com direitos!". No Auditório Lopes Graça, entre as 15h 00 e as 17h 30, Hermínio Loureiro (Gestor) e Odete Graça (Professora),abordaram-nos as temáticas relacionadas com "A Constituição da República de 1976 e as Políticas Públicas para a igualdade e para a juventude no meio associativo".
No final da tarde, no Auditório Lopes Graça, realizou-se a sessão de lançamento do livro "Manuel de Dirigentes Associativos - Cem perguntas, cem respostas", da autoria de Maria João Santos e de Sérgio Pratas e de seguida a Sessão Solene do 88º Aniversário da Confederação e Dia Nacional das Colectividades, onde decorreu a entrega da Distinções e Galardões.

segunda-feira, 26 de março de 2012

APELO ÀS COLECTIVIDADES E ASSOCIAÇÕES

COLECTIVIDADES E JUNTAS DE FREGUESIA

dois poderes locais a respeitar e valorizar

As cerca de 30.100 Colectividades e as 4.259 Juntas de Freguesia são as principais instituições da sociedade civil e do Estado com maior proximidade às populações. São elas quem no dia-a-dia conhecem e resolvem a grande maioria das necessidades no plano da cultura, recreio, desporto, social e administrativo. São o suporte da confiança dos mais idosos, da eficiência e da esperança dos mais novos.

Milhares de eleitos nas Juntas de Freguesia, iniciaram a sua experiência de serviço comunitário nas colectividades, sendo por isso profundos conhecedores da importância das duas frentes que se complementam e sem as quais a nossa democracia seria muito mais pobre.

Uma eventual decisão administrativa de agregação ou extinção de freguesias, sem ter em conta a realidade e necessidade local, sem considerar a vontade das populações e em particular dos seus representantes, seria um duro golpe na democracia portuguesa e um sinal de ditadura.

A confirmarem-se tais intentos, anular-se-iam identidades e diversidades culturais, promover-se-ia a desertificação humana, o isolamento e morte lenta de lugares e pessoas que assim ficariam ainda mais expostas à depressão individual e colectiva.

Depois de terem encerrado serviços públicos essenciais como escolas, centros de saúde, correios, notários e outros, nalguns casos, o que resta de vida colectiva e de humanidade, são as Colectividades, as Paróquias e as Juntas de Freguesia. O momento económico parece justificar toda e qualquer medida de redução de serviços públicos. Nada mais errado e falacioso. As Juntas de Freguesia não só são uma parte muito ínfima dos custos do Estado, como a sua existência permite um melhor serviço público de proximidade por um custo mais reduzido que qualquer outro.

A Confederação Portuguesa das Colectividades de Cultura, Recreio e Desporto, ciente da importância do que está em causa com a Proposta de lei 44/XII, recomenda:

1. Que todas as Colectividades e Associações participem no debate sobre esta problemática ao nível local, mobilizando e avaliando em cada caso concreto o que é melhor para as populações e para o Associativismo;

2. Que todas as Colectividades e Associações participem na Manifestação/Desfile que se realiza no dia 31 de Março em Lisboa (Marquês de Pombal/Rossio) utilizando os transportes disponibilizados pelas Juntas de Freguesia. A Confederação estará representada com uma Delegação Nacional;

3. Que após o dia 31 de Março não deixemos de lutar pela defesa do poder local democrático como expressão da vontade das populações e como meio de intervenção para a resolução dos problemas concretos e de participação cívica e política.

Lisboa, 23 de Março de 2012


A Confederação Portuguesa das Colectividades de Cultura, Recreio e Desporto

quinta-feira, 22 de março de 2012

Dirigentes Associativos e recurso ao subsídio de desemprego

Atendendo a alguns casos concretos endereçados à Confederação de inacessibilidade ao subsidio de desemprego por parte de Dirigentes Associativos devido ao exercício do cargo mesmo não remunerado; em conformidade com as informações que a Direcção vinha prestando; face aos contactos institucionais que a Confederação de imediato estabeleceu – Grupos Parlamentares, Secretaria de Estado da Presidência do Conselho de Ministros, Secretario de Estado da Segurança Social, Comissão de Educação, Cultura e Ciência – para contestação e clarificação do assunto, que configurava uma injustificável e inadmissível injustiça, a Confederação recebeu ontem dia 08 de Março um esclarecimento escrito proveniente do Conselho Directivo do Instituto da Segurança Social (em anexo) que clarifica e confirma que a nenhum Dirigente que exerça um cargo associativo sem remuneração pode ser vedado o acesso ao subsídio de desemprego.

Não obstante a presente clarificação, solicitamos que nos façam chegar rapidamente qualquer caso do género que tenham conhecimento, a fim de a Confederação enviar para a Secretaria de Estado da Segurança Social, conforme pedido dos seus responsáveis.

quarta-feira, 7 de março de 2012

CANTE ALENTEJANO A PATRIMÓNIO

MANIFESTO


1 - O Cante Alentejano é uma forma de expressão vocal, secularmente arreigada na nossa memória colectiva e tradicionalmente interpretada pelos habitantes de uma grande parte do imenso Alentejo, cuja melodia, forma e regras têm vindo a ser cautelosamente respeitadas e transmitidas de geração em geração.

2 - Guarda-se , por isso, activa e incólume, essa forma de cantar que impregna, como sua parte integrante e indissociável ,o imaginário e o ser espiritual do povo alentejano.
Na sua terra ou desterrados algures no mundo, os alentejanos revêem-se sentimentalmente nas suas “modas” e por isso, as cantam com paixão, quer na envolvência descontraída de um convívio, quer no aprumo dos Grupos Corais, onde, desde há muito se organizam, para cultivarem esta essência da sua tradição.

3 – Por insistência da “MODA- Associação do Cante Alentejano”, a quase totalidade dos concelhos do Alentejo e mais alguns da área da Grande Lisboa, classificaram o Cante como seu património oral e iniciaram também acções de apoio ao seu ensino, junto das escolas do ensino básico, buscando-se futuro para esta nossa herança do passado.

4 – Apesar da continuada aculturação de que somos alvo e do sistemático aviltamento das nossas raízes que desde há décadas nos mina a identidade cultural, o Cante Alentejano tem resistido ao seu tendencial apagamento e continua, apesar das múltiplas dificuldades, a impor-se, determinando o continuado aparecimento de novos Grupos Corais, em particular os femininos, que em si mesmos constituem um inegável e determinante factor de coesão social e cultural para as gentes transtaganas.

5 – Neste contexto, porque o Cante Alentejano constitui uma preciosa expressão de sentimento, alma e vida do nosso povo, cuja perda seria irreparável para nós e empobrecedora para toda a humanidade, vimos saudar e manifestar o nosso apoio à Candidatura do Cante Alentejano como Património Imaterial da Humanidade, de cuja aprovação resultará um justo reconhecimento por parte da UNESCO da grande valia etno-musical da “moda”, um novo alento para os actuais e futuros interpretes, assim como a garantia da necessária salvaguarda deste património de valor inestimável.

Assine!

domingo, 19 de fevereiro de 2012

Raízes profundas de pertença à memória coletiva do Barreiro «Candidatura do CANTE a Património Cultural Imaterial da Humanidade»

No próximo dia 25 de Fevereiro, a “Associação Barreiro – Património, Memória e Futuro” e a “Cooperativa Cultural Popular Barreirense levam a efeito um colóquio denominado “Candidatura do CANTE a Património Cultural Imaterial da Humanidade”.

O CANTE e a POESIA alentejana estarão presentes com a participação do Grupo Coral “Amigos do Barreiro” e da Associação Projector – Companhia de Teatro do Barreiro. No dia 25 de Fevereiro de 2012, a “Associação Barreiro – Património, Memória e Futuro” e a “Cooperativa Cultural Popular Barreirense levam a efeito um colóquio denominado “Candidatura do CANTE a Património Cultural Imaterial da Humanidade”, contando para isso com a presença de João Proença, presidente da CASA DO ALENTEJO, e de Carlos Laranjo Medeiros, em representação da CONFRARIA DO CANTE ALENTEJANO, membros da Comissão Promotora da Candidatura a ser entregue na UNESCO a 30 de Março de 2012.

Esta iniciativa terá lugar na sede da Cooperativa, na Rua Miguel Bombarda, 64-C, no BARREIRO, com a seguinte programação:

15h30 – Apresentação e exibição do filme “Vozes da Memória: o cante alentejano no Barreiro”

16h30 – Colóquio sobre “O CANTE a Património Cultural Imaterial da Humanidade”;

17h30 – Convívio, animação e sabores alentejanos.

O CANTE e a POESIA alentejana estarão presentes com a inestimável participação do Grupo Coral “Amigos do Barreiro” e da Associação Projector – Companhia de Teatro do Barreiro, que tanto têm feito quanto á preservação da Memória Cultural, raíz identitária do Barreiro.

O Cante de origens remotas e raízes profundas é pertença da Memória Coletiva do Povo e no Barreiro foi é no Barreiro tem uma presença marcante, integrada na sua identidade cultural, pelo que a sua preservação é um dever cívico.

Não deixem pois de estar connosco no sábado, dia 25, pelas 15h30, nesta atividade cultural de interesse nacional.

CONTAMOS CONVOSCO!

Associação Barreiro Património Memória e Futuro
Cooperativa Cultural Popular Barreirense

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

SDUB ‘Os Franceses festeja Carnaval

Link«A SDUB ‘Os Franceses’, também como outras Coletividades da nossa cidade, atravessa tempos difíceis. Mas queremos manter a tradição.

Convidamos os nossos Parceiros, os Agrupamentos de Escuteiros 690 e 1 180, respetivamente Barreiro e Santa Cruz, o Instituto Politécnico do Barreiro ‘Estbartuna’ e o Grupo Carnavalesco do Barreiro, para, em conjunto com os restantes barreirenses e o Conjunto Enigma, fazermos uma noite diferente.

Muita animação, muita dança e brincadeira e dois concursos de Máscaras, um para adultos e ou outro para crianças, estão prometidos. Venham esquecer a crise por algumas horas. Carnaval é nos Franceses.»

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Clube Dramático de Instrução e Recreio 31 de Janeiro «Os Celtas» comemorou 80º Aniversário

O Clube Dramático de Instrução e Recreio 31 de Janeiro «Os Celtas», no concelho do Barreiro, realizou no passado dia 4 de Fevereiro, pelas 15 horas, a Sessão Solene evocativa do 80º aniversário.
O Clube Dramático de Instrução e Recreio 31 de Janeiro «Os Celtas», promoveu no dia 4 de Fevereiro de 2012 (Sábado), pelas 15 horas, a Sessão Solene evocativa do 80º aniversário, Salão - Ginásio da sede social da colectividade, na Rua Dr. Manuel Pacheco Nobre, n.º 124, freguesia do Alto do Seixalinho, concelho do Barreiro.
Antes de começar a Sessão Solene o Coro Polifónico do Alto de Seixalinho apresentou quatros peças: duas de José Afonso; uma em homenagem ao Maestro Lopes Graça e, no final, o hino da freguesia do Alto do Seixalinho.
A Sessão Solene começou com entregas de diplomas de mérito associativos e as medalhas dos sócios com 25 e 50 anos. De seguida contou com as intervenções de Silvano Lopes, Presidente da Direcção do Clube Dramático de Instrução e Recreio 31 de Janeiro «Os Celtas», de Maria João Porfírio, em representação da Junta de Freguesia do Alto do Seixalinho; de Daniel Ventura, Vice-Presidente da Confederação Portuguesa das Colectividades de Cultura, Recreio e Desporto (CPCCRD) e membro da Comissão Instaladora da Associação de Colectividades do Concelho do Barreiro (CIACCB), e de Rui Lopo, Vereador da Câmara Municipal do Barreiro.
No final os convidados, os sócios e os órgãos sociais cantaram os parabéns ao Clube Dramático de Instrução e Recreio 31 de Janeiro «Os Celtas».

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Que tipo de formação necessitam os Dirigentes Associativo Voluntários do Barreiro???

Caros Dirigentes Associativos do Concelho do Barreiro,

Estamos a convidá-lo(a) a participar num levantamento das necessidades de formação dos Dirigentes Associativos Voluntários do Concelho do Barreiro, apoiado pela Confederação Portuguesa das Colectividades de Cultura Recreio e Desporto (CPCCRD) e realizado pela Comissão Instaladora da Associação de Colectividades do Concelho do Barreiro (CIACCB). Com este levantamento pretende-se realizar um caracterização do Movimento Associativo Popular e identificar quais são as necessidades de formação dos Dirigentes do Concelho do Barreiro. A sua participação neste levantamento é fundamental.




Agradecemos a sua participação.

Questionário aos Dirigentes Associativo Voluntários (DAV)

Caros Dirigentes Associativos,


Estamos a convidá-lo(a) a participar num estudo de investigação, coordenado pelo Professor Doutor José Ornelas do ISPA - Instituto Universitário, em colaboração com a Confederação Portuguesa das Colectividades de Cultura Recreio e Desporto (CPCCRD). Com este estudo pretende-se aprofundar os conhecimentos sobre a temática da liderança comunitária como processo de desenvolvimento das organizações e comunidades, a partir da perspectiva dos dirigentes associativos voluntários. A sua participação neste estudo é inteiramente voluntária.





Agradecemos a sua participação.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Confederação na Assembleia da República

A Confederação Portuguesa das Colectividades de Cultura, Recreio e Desporto foi recebida na Assembleia da República, no dia 13 de Dezembro pela 8ª Comissão de Educação, Ciência e Cultura.